27.2.11

Tempo vago

Hoje à noite lembrei de versos
[que nunca te fiz;
Versos mudos que meus olhos
[te ofertaram em segredo,
Logo depois de te oferecer flores invisíveis,
[que recusaste.
Aquelas flores ainda têm o teu perfume...

26.2.11

Longe do farol

Desatento e convexo.
Distante e sem fronteiras.
Sem os olhos abertos
Ou os punhos fechados.
Indeciso e errado.
Sem flores.
Sem sol.

25.2.11

Descanso

As folhas se juntaram
Ao final daquela tarde fria;
Esperavam o vento vir lhes acariciar
E passar o resto do dia brincando
Numa alegria eterna.

19.2.11

Tarde na janela

as gotas da chuva molham meu rosto;
confundem-se nos meus cabelos
e me renovam.
a chuva não acabou ainda,
mas em algum momento haverá trégua.