30.4.11

Desaviso

Tenho gotas de sonhos breves.
Abro os olhos em minutos prontos
E esqueço teus olhares longos.
Meus dedos trêmulos e errantes;
Minha boca seca e muda;
Meus olhos abertos e sem foco;
Tenho um infinito distante e desbotado.
Tenho o desejo de bilênios
Refletido nos teus olhos ausentes.

23.4.11

Estrelas roubadas

Você dorme profundamente
E sonha
Com meus lábios
Te fazendo versos
Mudos ao ouvido;
Sonha
Com meus olhos
Te chamando;
Sonha
Com meu corpo
Te acolhendo...

21.4.11

Ciranda

Me volto criança a te mirar;
Pé no chão,
Querendo colo
E uma canção de ninar.
Um afago nos cabelos;
Depois fechar os olhos.

9.4.11

Castelo

Meus dentes em tua pele
- Rasgando com o desejo de bilênios.
Tua tirania sem fim
- Derrubei a mesa e quebrei as lâmpadas.
Tuas mãos em meu corpo
- Sangrando de forma demente.
(O dia sobrou.)