18.6.11

Fim do dia

Desvendo chuvas oblíquas
Através dos teus dedos.
Anoiteço e descalço.
Trago pétalas e te pronuncio;
Desfaço laços e me disfarço.
Abro a porta e te vejo de relance -
Disfarço e me desfaço.

Um comentário:

  1. Mais um poema perfeito, Max.

    Adorei principalmente o último verso.

    ResponderExcluir