27.9.11

Caos sem roteiro

Sem tamanha doçura
Pressinto tuas mãos quentes de devaneio
(Se te enervo, desatino).
Vejo teus lindos olhos brilhantes
- de mentira,
Acredito na tua falta de tranquilidade
(Não assumo e te assombro).
Adivinho tuas diversas crueldades,
Tuas desavenças futuras
(Se sumo, te devasto).

Nenhum comentário:

Postar um comentário