29.10.11

De trens e horizontes

O trem partiu bem tarde,
Numa manhã clara.
Apesar de toda a balbúrdia,
Importava apenas aquela
[mão pequena
Indo pra longe e acenando.
No rosto pairava dúvida,
(-Quando irá me buscar?)
E sumia rapidamente.
O trem foi embora -
No horizonte apenas sua fumaça;
Dentro do peito, um futuro arruinado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário