14.1.12

tarde de pétalas arrancadas

teus olhos passeiam com a pressa
[de viver noutro mundo particular.
com a facilidade da fuga,
desabita sentimentos feito cigano;
olha pra trás apenas por tempo suficiente
- sem perder rotas seguidas.

destroça caminhos traçados
(que outros não te sigam!),
derruba barreiras aos blocos
e se esvai fluidamente.

de braços sempre abertos,
que o mundo não tem fim.

Um comentário: