23.4.12

De eternas fugas

Escuto tuas palavras que o vento
[carrega desde lonjuras...
Teus verbos tão consistentes quanto
(fumaça)
Um cheiro esquecido na infância
Não mascaram as diversas rotas de fuga.
Em instantes...
(lacuna... terremoto... pontos finais)
Cadê o vento que te levou?

Nenhum comentário:

Postar um comentário