28.4.15

De sentidos

Precisei liberar os fantasmas,
Sempre adormecidos dentro de mim.
[Malvados de qualquer forma,
Eles me encaram:
Fazendo perguntas?
Dando respostas?
Nunca sei.
Vingativos por direito;
Sedentos demais.
Basta fechar os olhos e
(As portas)
Apenas sussurros de desgosto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário