2.6.16

Sobre trapaças

Meu corpo é de difícil controle.
Meu cabelo enlouquece com a carícia
do vento.
Minhas mãos desenham curvas perigosas
nas paredes do teu abraço.
Minhas pernas dançam desordenadas
ao ritmo da casa.
Meu coração se descompassa ao som
da tua voz.
Meus olhos marejam ao sabor das ondas.
Minha boca ecoa noite e dia
desejos de felicidade.
Meu corpo se atormenta a menor ausência.
Meu corpo se vai...